Blogueira Karol Pinheiro Lança Livro O Dia

Como Criar Um Blog Pessoal Gratuitamente


RESUMO Golpe teoricamente ingênuo https://findlay.kroogi.com/en/content/3639974-Como-Montar-Um-Site-Profissional-E-Responsivo.html perante a forma de e-mail, diversas vezes envolvendo supostos africanos abastados, surpreende pela longevidade. Estudiosos dizem que, apesar da aparência primária, o "golpe da Nigéria" é herdeiro de um truque de 200 anos e que sua inverossimilhança serve para filtrar vítimas. O golpe não é pontualmente novo. No Brasil, por exemplo, prontamente existia a velha tradição da "venda do bilhete premiado". A armação é tão flagrante, e o golpe tão comum, que a maior quantidade dos destinatários das mensagens se questiona quem seria apto de cair nele. No entanto, apesar das aparências, não é um tipo de estratagema ingênuo, nem recente: ele seria da mesma linhagem de um embuste que vem sendo fabricado há em torno de 200 anos. 19 e início do 20 como "golpe do Prisioneiro Espanhol". O primeiro registro teria sido feito em 1834, por Eugène Vidocq, em tuas "Lembranças".


O pesquisador diz ter "certeza" de que o Brasil bem como "foi centro ou origem de cartas do Prisioneiro Espanhol". O golpe chegou a inspirar incontáveis romances e vídeos, como "The Spanish Prisoner", de David Mamet (o video, de 1997, foi lançado no Brasil como "A Trapaça"). http://blogdesupermoda23.blog5.net/14871881/como-localizar-a-atividade-f-sica-melhor-para-voc com Robert Whitaker, um momento-chave pra sofisticação do ardil foi a virada para o século 20 pela Inglaterra.


O historiador diz que, segundo suas pesquisas pela seção da Scotland Yard dos Arquivos Nacionais Britânicos, foram fundamentais a popularização da máquina de escrever e do "Who's Who", catálogo dos mais ricos ingleses. A modelo de outros estudiosos contemporâneos de mídia, como Tom Standage, autor de "Writing on the Wall: Social Media, The First 2.000 Years" (Bloomsbury, 2013), ele vê as redes sociais como anteriores e independentes da web.


O mesmo vale pros crimes que se aproveitam delas. Pelo menos é essa a teoria de Cormac Herley, pesquisador da Microsoft Research que vem se ocasionando conhecido por teses inusitadas, contra a corrente. Tais como, três anos atrás ele defendeu que amparar senhas complexas e trocá-las periodicamente serve só para oferecer uma falsa impressão de segurança e desviar a atenção de perigos maiores. Herley é autor de um estudo intitulado "Por Que os Golpistas Nigerianos Dizem que São da Nigéria?", quer dizer: por que deixam tão claro que se trata de um golpe?


Para responder à dúvida -e para achar uma forma produtivo de encarar um ardil tão difundido- ele procurou chegar o foco desde o ponto de vista dos próprios criminosos, e não do das vítimas. O estratagema filtra os menos crédulos já neste primeiro contato, para impedir que sejam vários os candidatos da segunda fase, de convencimento individual.



  • Capítulo 346


  • vinte e três comentários para “Saiba como fazer as pessoas saírem da piscina em alguns segundos”

  • 4# Faça o Exercício da Ponte

  • Use técnicas pra impedir o recarregamento completo das páginas do http://webdetuasaude3.qowap.com/14977447/como-anunciar-gifs-no-facebook , como o emprego de AJAX

  • Posicionar os banners publicitários em locais mais rentáveis no web site

  • 16/dez | 14h36 Apple retrata iPad Air 2, iPad Mini 3 e atualiza linha Macintosh

  • Episódio nove



Uma maneira de reduzir o alcance do "golpe da Nigéria" seria, desta forma, elevar o número de pessoas que respondem ao primeiro contato, encarecendo o esquema e desestimulando os golpistas. Isso agora existe, em sites como 419 Eater, que instrui voluntários a achar e aceitar golpes. No entanto o resultado é restrito, segundo Herley, já que "é manual, não automático, e feito por lazer, sem desejar a lucratividade do esquema".


https://wallinside.com/post-64361240-homeopatia-pra-o-emagrecimento.html , "imaginar como um golpista é uma jeito acertadamente valorizada" entre os protetores de sistemas on-line, já que assistência a "evidenciar vulnerabilidades e suposições pobres". Daí ele proteger que "refletir como um golpista não termina no momento em que se encontra um buraco, porém tem que prosseguir" até localizar como funciona o golpe "como negócio".


No Brasil, Carlos Miguel Sobral diz que fraudes deste gênero estão em queda, após terem atingido "um pico em anos anteriores". Ele próprio passou para a área de projetos estratégicos de inteligência da PF. NELSON DE SÁ, 53, é repórter da Folha. Assina a coluna "Toda Mídia" e o website "Cacilda" no blog do jornal.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *